Em Davos, Brasil diz que pode ser flexível em negociação

O Brasil está disposto a ser flexível em negociações comerciais renovadas desde que os Estados Unidos e a Europa confirmem "grandes sinais" emitidos sobre o comércio agrícola, afirmou o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, neste sábado.Amorim disse que os EUA se mostraram dispostos a discutir tetos a subsídios domésticos, e que a União Européia disse que uma proposta do G20 - grupo de países em desenvolvimento - para redução de tarifas agrícolas era uma possível "zona de aterrissagem" para os negociadores."Nós dissemos que somos capazes de revisar e de sermos flexíveis em outras áreas contanto que esses grandes sinais em agricultura sejam confirmados", afirmou o ministro a jornalistas após reunião de ministros de Comércio em Davos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.