Em dia de Copom, sindicalistas protestam contra alta da Selic

'Vamos lutar por aumentos reais de salários e dizer sim à redução da taxa de juros', diz Força Sindical

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

23 de julho de 2008 | 19h28

                                                                                                                  Marcio Fernandes/AE   A Força Sindical, a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), entre outras entidades representativas dos trabalhadores, realizaram nesta quarta-feira, 23, um ato público contra a política monetária do Banco Central e o aumento da taxa básica de juros (Selic), como instrumento de controle da inflação. O protesto foi realizado no dia em que o Comitê de Política Monetária (Copom), reunido em Brasília, divulga a nova taxa Selic, com perspectivas de novo aumento.   "O aumento da taxa de juro afeta o bolso de todos. Vamos lutar por aumentos reais de salários e dizer sim à redução da taxa de juros", defendeu o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna. A manifestação reuniu cerca de 400 sindicalistas, por volta do meio-dia, em frente à sede regional do Banco Central em São Paulo. Os trabalhadores protestaram contra o aumento dos juros, sob o argumento de que isso limita o crescimento da economia, tem impactos na geração de empregos e arrocha os salários.   O tema do protesto foi "Os trabalhadores não vão pagar o pato, menos juros, mais desenvolvimento". Segundo o presidente da CTB, Wagner Gomes, o ato é uma manifestação nacional. "Ontem protestamos no Rio Grande do Sul, Bahia e Ceará, hoje é o dia de São Paulo e Rio de Janeiro", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
CopomJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.