Em dia de mercados parados, deflação é o destaque

Com o feriado no estado de São Paulo, os mercados ficaram praticamente parados nesta quarta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) não operaram. No mercado de câmbio, foram registrados poucos negócios. O dólar encerrou o dia em queda de 0,35%, cotado a R$ 2,8600 na ponta de venda.Amanhã, os mercados reabrem normalmente e o resultado de índices de inflação, que foram divulgados hoje apontando retração, pode provocar algum reflexo nos negócios. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), registrou uma taxa negativa de 0,15%, no piso das expectativas do mercado, que variavam entre -0,15% e +0,25%. Essa foi a primeira deflação medida pelo IPCA desde novembro de 1998. À tarde, veio o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI), também referente a junho, com uma deflação de 0,70%, ante previsões entre -1,10% e -0,67%. Essas taxas negativas devem sancionar o otimismo do mercado financeiro em relação ao corte de juros, segundo apuraram os editores Lucinda Pinto e Mario Rocha. A idéia de que o Comitê de Política Monetária (Copom) poderia reduzir a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 1,5 ponto percentual, já vem ganhando há dias adeptos, por conta dos resultados negativos da inflação. A próxima reunião do Copom está marcada para os dias 22 e 23 de julho.No mercado de ações norte-americano, o Índice Dow Jones ? que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York ? fechou em queda de 0,73%. Já a Nasdaq ? bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet ? encerrou a quarta-feira em leve alta de 0,06%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.