Em dia de tensão nos mercados, Bovespa cai 10% e pára

Dólar abre cotado a R$ 2,118 no balcão, com alta de 3,62%; bolsas da Europa, Ásia e NY também caem

Redação,

06 Outubro 2008 | 10h22

O circuit breaker da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) foi acionado às 10h18 desta segunda-feira, quando a Bolsa chegou aos 40 mil pontos, acumulando uma queda de 10% no dia. Trata-se de um procedimento estabelecido pela Bolsa, sempre que o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - chega a uma queda de 10% em relação ao índice de fechamento do dia anterior. O dólar abriu nesta segunda cotado a R$ 2,118 no balcão, com alta de 3,62%. As bolsas de NY também abriram em queda. Logo no início do pregão, o índice Dow Jones caía 1,11% e o Nasdaq cedia 2,30%.   Quando o sistema foi acionado, as maiores quedas do Ibovespa eram de CSN ON (-15,97%) e Net PN (-15,87%). No mesmo horário, Petrobras PN cedia 10,32% e Vale PNA perdia 12,64%.   Esta é a segunda vez, desde segunda-feira passada, que o mecanismo que interrompe os negócios por 30 minutos, em razão de queda excessiva do índice, é acionado. Na última segunda-feira, a Bovespa interrompeu o pregão pouco antes das 15 horas, quando o Ibovespa caía 10,16%. Na ocasião, o circuit breaker foi acionado pela primeira vez desde janeiro de 1999.   Na semana passada, a Bovespa encerrou a semana com perdas de 12,34%, a maior queda semanal desde julho de 2002, quando recuou 12,9% em meio à tensão pré-eleitoral que resultou no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na última sexta-feira, o Ibovespa caiu 3,53%, aos 44.517,32 pontos.   O circuit breaker é um mecanismo utilizado pela Bovespa que permite, na ocorrência de movimentos bruscos de mercado, o amortecimento e o rebalanceamento das ordens de compra e de venda. Esse instrumento constitui-se em uma "proteção" à volatilidade excessiva em momentos atípicos de mercado, segundo informa a Bolsa.   Os negócios ficarão interrompidos por 30 minutos. Reabertos os negócios, caso a variação do Ibovespa atinja uma oscilação negativa de 15% em relação ao índice de fechamento do dia anterior, os negócios na Bovespa, em todos os mercados, serão interrompidos por uma hora.   Até hoje, considerando-se o episódio da semana passada, o mecanismo foi acionado em 11 ocasiões. Em 97, em meio à crise da Ásia, os negócios foram interrompidos em 7 e 12 de novembro. Em 98, na crise da Rússia, foram cinco interrupções das operações por baixa de 10%, sendo que no dia 10 de novembro o mecanismo foi acionado duas vezes. As outras três paralisações do pregão foram em 21 de agosto e 4 e 17 de setembro. Depois, foi na crise cambial brasileira, quando em 13 e 14 de janeiro de 1999 o circuit breaker voltou a ser acionado. Nesses dois últimos pregões, o Ibovespa bateu mínimas de 5.277 pontos e 5.050 pontos.   Europa e Ásia   Na Europa, as ações de bancos despencam nesta manhã, puxando para baixo os principais índices. As bolsas européias abriram em queda o pregão seguindo os mercados asiáticos que encerraram em baixa. As asiáticas também se mantiveram no terreno negativo e caíram mais de 4% diante do agravamento da crise financeira na Europa e de novos indícios de que a economia norte-americana caminha para uma recessão, apesar do socorro aprovado pelo Congresso na semana passada.   (com Stella Fontes e equipe da Agência Estado e Cláudia Trevisan, de O Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.