Em dia fraco, dólar anula alta da manhã e fecha estável

O dólar fechou estável nesta segunda-feira, anulando a alta do começo da sessão diante do movimento do mercado internacional e das expectativas sobre os Estados Unidos em uma sessão de volume reduzido.

SILVIO CASCIONE, REUTERS

07 de dezembro de 2009 | 16h45

A moeda norte-americana fechou a 1,728 real, mesma cotação de sexta-feira. Enquanto o mercado local fechava, o dólar caía 0,57 por cento ante uma cesta com as principais divisas no exterior, recuando após atingir o maior nível em cinco semanas.

O dólar começou o dia em alta, estendendo o movimento do fim da semana passada --quando os Estados Unidos divulgaram o fechamento de apenas 11 mil postos de trabalho em novembro.

O resultado, que implicou na queda do desemprego para 10,0 por cento, sustentou previsões de que o Federal Reserve poderia mudar sua postura e subir os juros mais cedo do que se previa.

Por causa da crise, a taxa básica tem sido mantida entre zero e 0,25 por cento ao ano --o que desvaloriza investimentos em dólares e favorece aplicações em ativos mais arriscados.

Mas as apostas em uma mudança de política monetária perderam um pouco de força após comentários do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke.

Em evento em Washington, ele admitiu que os sinais recentes de recuperação serão levados em conta pela autoridade monetária, mas ressalvou que no momento o Fed ainda prevê um período longo de juros baixos.

No Brasil, operadores destacaram o volume reduzido das operações --cerca de 800 milhões de dólares por volta de 16h, ante média de 1,9 bilhão de dólares no mês passado. De acordo com o operador de uma corretora nacional, muitas instituições já definiram suas posições à espera do fim do ano, o que reduz a volatilidade do mercado.

A tendência, no entanto, ainda é de queda da moeda norte-americana por causa da perspectiva de ingresso de capitais no país, disse outro operador, que trabalha em um banco nacional e que também preferiu não ser identificado.

Tudo o que sabemos sobre:
DOLARFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.