DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Em discurso na TV, Bolsonaro defenderá reforma da Previdência como 'justa'

Presidente vai dizer que as mudanças serão sentidas por ricos, pobres, políticos, funcionários públicos, militares, empregados da iniciativa privada e trabalhadores rurais

Equipe AE, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2019 | 19h27

BRASÍLIA - Em discurso que será transmitido na noite desta quarta-feira, 20, em cadeia de rádio e TV, o presidente Jair Bolsonaro vai defender que todos, sem exceção, estarão sujeitos às regras da Nova Previdência, nome pelo qual o governo chama a proposta de reforma previdenciária enviada ao Congresso.

Bolsonaro vai dizer que as mudanças serão sentidas por todos: ricos, pobres, políticos, funcionários públicos, militares, empregados da iniciativa privada e trabalhadores rurais.

As mudanças no regime dos militares (que inclui Forças Armadas, PMs e bombeiros), no entanto, não foram apresentadas nesta quarta-feira. Segundo o governo, o texto será enviado ao Congresso até o dia 20 de março.

O presidente também defenderá que a Nova Previdência vai respeitar as diferenças, porém será justa e beneficiará os mais pobres. Quem ganha menos, contribuirá com menos e quem ganha mais, pagará mais, segundo Bolsonaro.

Esse trecho está relacionado às mudanças nas alíquotas da Previdência que empregados privados e funcionários públicos pagam. Para quem ganha até um salário mínimo, por exemplo, a alíquota vai cair dos atuais 8% para 7,5%. Já para a elite do funcionalismo, a alíquota pode chegar a até 22% para quem ganha mais de R$ 39 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.