Em doze meses, vendas reais nos supermercados sobem 4,12%

No acumulado dos 8 primeiros meses deste ano, indicador aponta alta de 5,3% ante igual período de 2008

RODRIGO PETRY, Agencia Estado

29 de setembro de 2009 | 11h50

As vendas reais dos supermercados subiram 4,12% em agosto deste ano em relação a igual mês do ano passado, segundo divulgou nesta terça-feira, 29, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com julho, as vendas tiveram alta de 0,8%. No acumulado dos oito primeiros meses de 2009, o indicador aponta crescimento de 5,3% ante igual período de 2008. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

Veja também:

linkComércio está confiante no Dia das Crianças, aponta Serasa

O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo registrou queda de 2,9% em agosto ante julho, para R$ 260,24. Já em relação a agosto de 2008, houve alta de 2,25%. Os produtos que registraram as maiores altas no mês passado em relação ao mês anterior foram tomate (19,04%), cebola (10,51%) e biscoito Maizena (4,05%). As maiores quedas foram de leite longa vida (-11,01%), batata (-10,72%) e carne dianteiro (-10,49%).

Em nota, a Abras afirma que o crescimento no acumulado de 2009 até agosto trata-se de "um ótimo resultado, que traz boas perspectivas para o fim do ano, mesmo que a base de comparação seja alta, já que o segundo semestre de 2008 apresentou um bom crescimento de vendas". Segundo a associação, o setor espera manter esse bom ritmo de crescimento nas vendas.

A Abras divulgou ainda o Índice Nacional de Volume de Vendas, que apresentou alta de 2,2% no acumulado de janeiro a agosto de 2009 ante igual período de 2008. As maiores altas ficaram com bebidas alcoólicas (6%), bebidas não alcoólicas (5%) e produtos perecíveis (4,9%). A única baixa ficou com mercearia salgada (-0,1%).

Tudo o que sabemos sobre:
Abrasvendassupermercados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.