Em encontro com índios, Lula defende Belo Monte

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou o questionamento de uma das lideranças indígenas da Raposa-Serra do Sol, durante reunião realizada na aldeia, na comemoração de um ano da demarcação das terras, para defender o projeto de construção de Belo Monte. "O dado concreto é que a hidrelétrica é mais barata e a usina térmica polui que é uma desgraça", disse Lula aos representantes das comunidades indígenas, em reunião a portas fechadas, segundo relato de fonte que participou do encontro. Os índios questionaram o desenvolvimento de projetos em suas áreas e atacaram a disposição do governo de continuar construindo usinas hidrelétricas.

Tânia Monteiro, ENVIADA ESPECIAL, MATURUCA, RAPOSA-SERRA DO SOL, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2010 | 00h00

Lula falou da importância da construção de novas hidrelétricas para garantir o crescimento do País e explicou as vantagens de o governo ter optado por esse tipo de energia. "É a mais barata", insistiu Lula.

O presidente ressalvou, no entanto, que muitas das críticas que são feitas ao projeto hoje são "indevidas" e "não levam em conta que o projeto já mudou muito". Lula explicou que muitos pleitos feitos durante o processo de análise do projeto acabaram sendo atendidos, mas muitas pessoas continuam reclamando, por puro desconhecimento, de coisas que já sofreram alterações. Não citou, no entanto, que mudanças foram essas.

Lula determinou ainda ao presidente da Funai, Márcio Meira, que inclua na pauta da reunião do Conselho Nacional de Política Indigenista (CNPI), em maio, a discussão de Belo Monte, para que todos entendam a sua importância e o que está sendo feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.