Em época de crise, Cameron critica nova sede da UE

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, criticou ontem os líderes europeus por permitirem um investimento de 240 milhões na construção de uma nova sede da União Europeia (UE) num momento em que a região enfrenta uma grave crise econômica. "É frustrante ver um documento sobre um grande edifício que será a sede do Conselho Europeu", afirmou.

, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2011 | 00h00

A crítica de Cameron foi bem recebida pelos seus companheiros do Partido Conservador, contrários a uma maior integração com outros países da Europa.

A nova sede da União Europeia foi encomendada em 2004. O edifício - que se chamará Europa - abrigará as reuniões regulares dos 27 membros da UE. "Só estive sete vezes no prédio atual e me parece que ele funciona perfeitamente", afirmou Cameron.

O novo prédio tem previsão de entrega para 2014, mas o custo final pode subir por causa da- inflação no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.