coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Em linha com BC, mercado vê IPCA na meta e PIB forte

Analistas e economistas esperam expansão de 4,7% na economia do País em 2007; inflação deve ficar em 4,10%

Renato Andrade, da Reuters, Agencia Estado

08 de outubro de 2007 | 09h06

Faltando pouco mais de dois meses para o fim do ano, as projeções do mercado financeiro continuam indicando expansão forte da economia e inflação dentro da meta, como esperado pelo Banco Central.  De acordo com pesquisa semanal do BC, divulgada nesta segunda-feira, 8, analistas reafirmaram suas estimativas para a taxa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007 e 2008. Para este ano, os cálculos indicam um crescimento de 4,7%, mesmo patamar estimado pelo Banco Central, e de 4,4% em 2008.  O cenário traçado para o comportamento dos preços também está em linha com os cálculos feitos pelo BC. Para este ano, os economistas esperam uma alta de 4,01% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). No relatório de inflação de setembro, o BC indicou que espera um alta de 4% para o índice de preço que serve de referência para a política de metas de inflação.  Para 2008, os analistas esperam uma alta de 4,10% para o IPCA, levemente acima dos 4,2% estimados pelo BC. Nos dois casos, as projeções do mercado indicam inflação abaixo do centro da meta, que é de 4,5%.  No cenário de juro, o quadro também não se alterou. Os analistas acreditam que o Comitê de Política Monetária (Copom) irá reduzir a taxa básica do País, a Selic, em 0,25 ponto percentual agora em outubro e fazer uma parada técnica, deixando a taxa em 11% em dezembro.  Ao longo de 2008, o juro básico da economia brasileira deve cair mais 0,75 ponto, fechando dezembro em 10,25% ao ano.

Tudo o que sabemos sobre:
IPCAPIBFocusBCSelicJuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.