Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Em livro, elogios a FHC e ao real

Para Greenspan, Lula é ''''populista com muitos seguidores''''

Patrícia Campos Mello, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2018 | 00h00

No livro de memórias que chegou às livrarias ontem, Alan Greenspan, que presidiu o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) por 18 anos e meio e ainda é uma das mais influentes figuras dos Estados Unidos, elogia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter dado continuidade à política econômica iniciada no governo Fernando Henrique Cardoso.''''Para surpresa de muitos, eu inclusive, o presidente Lula seguiu as políticas sensatas do Plano Real, que Cardoso, seu antecessor, implementou para combater a hiperinflação'''', diz Greenspan no livro A Era da Turbulência: aventuras em um mundo novo. Greenspan, considerado um ''''oráculo econômico'''' por muitos analistas, desdobra-se em elogios a Pedro Malan, Fernando Henrique Cardoso e Armínio Fraga.Segundo Greenspan, eles têm um ''''talento excepcional e podem conduzir a América Latina na direção oposta ao populismo econômico''''. Lula é descrito como um ''''populista com muitos seguidores''''.Malan é chamado de típico representante dos ''''formuladores de políticas econômicas altamente competentes da América Latina''''. ''''Admirava muito Pedro. Mas não pude deixar de fazer a ele uma pergunta que me atormentava: como uma economia pode ser tão mal gerenciada a ponto de exigir uma reforma tão drástica?'''', diz Greenspan, referindo-se ao Plano Real.O ex-presidente do Fed também elogia as mudanças ''''duradouras'''' trazidas pelo plano. ''''A economia teve bom desempenho e o nível de vida melhorou'''', escreve. ''''A economia brasileira está funcionando para o povo brasileiro.''''DÉFICIT ORÇAMENTÁRIONo livro, o republicano Greenspan, que tem 81 anos, faz pesadas críticas ao descontrole de gastos e déficit do orçamento durante o governo George W Bush. Ele também tenta rebater as críticas de que teria alimentado a bolha imobiliária americana ao manter as taxas de juros muito baixas por um período longo demais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.