carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Em Manaus, Lula encontra empresários atentos à infra-estrutura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva inaugura hoje o terceiro terminal de cargas do aeroporto internacional de Manaus - uma obra que começou em 2001. Este terminal soma-se ao complexo do aeroporto que já conta com um terminal para exportação, internação e desembarque de carga nacional. Foram investidos nessa etapa R$ 21 milhões e a capacidade de três mil toneladas quadruplicou para 12 mil toneladas, alcançando umaárea de 49 mil metros quadrados.A inauguração acontece no momento em que a preocupação com a infra-estrutura para o transporte das mercadorias é uma realidade entre os empresários da zona franca. Além da distância para outras localidades do Brasil, o frete é muito alto. Os investimentos da Infraero para ampliar os terminais de cargas são bem recebidos pelos empresários, apesar de o transporte aéreo ser caro e responder por um baixo volume nas exportações.De qualquer forma, os empresários da região comemoram o crescimento da produção e do emprego e fazem prognósticos positivos sobre asexportações. A expectativa é a de que, em 2005, as exportações que estão hoje na faixa de 10% da produção - o restante está voltado para o mercado interno - cresçam de 15 a 20%. As empresas trabalham com a perspectiva de aumento do faturamento, passando de US$ 13,5 bilhões deste ano para US$ 15 bilhões em 2005.Outro motivo de euforia é o aumento de vendas de celulares, motos e ar condicionado, produzidos no pólo industrial, para um mercado considerado exigente, o norte-americano. "Os Estados Unidos são nosso principal mercado, depois vem os países vizinhos", disse a superintendente da zona franca, Flavia Grosso, acrescentando que a meta é aumentar as exportações, mas sem perder de vista o mercado interno, principal objetivo do modelo da zona franca.Moto HondaO presidente Lula também visitará a empresa Moto Honda, que emprega seis mil pessoas e exporta 15% da sua produção. Com previsão de investimento na ordem de R$ 200 milhões, o projeto de expansão vai aumentar mais sua capacidade produtiva. A estimativa é absorver de 300 a 400 mil funcionários no ano que vem.A Honda de Manaus já vem reduzindo drasticamente a importação dos componentes usados para montagem das motocicletas. A empresa está exportando para 68 países. Em 2002, entrou no mercado norte-americano, depois dos reflexos negativos da crise argentina que absorvia 30% a 40% das exportações. Para 2005, espera-se a retomada do mercado argentino.

Agencia Estado,

14 de dezembro de 2004 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.