Em meio a briga comercial, Irã devolve plataforma

As forças militares iranianas devolveram o controle de uma plataforma de petróleo confiscada, na terça-feira, no Golfo Pérsico, para o Grup Servicii Petroliere (GSP), em meio a uma disputa comercial entre as duas partes sobre o direito da companhia romena recuperar suas plataformas. "Entramos em contato com a plataforma e os iranianos já foram embora", afirmou o porta-voz da GSP, Radu Petrescu. O grupo romeno estava em processo de remoção da plataforma das águas iranianas por causa de uma disputa contratual com a Oriental Oil Kish, quando a unidade foi invadida ontem por soldados iranianos.O Irã, que detém a segunda maior reserva de gás e petróleo do mundo, deu sua resposta, na terça-feira, à oferta de incentivos apresentada pela União Européia para persuadir o país a interromper seu programa de enriquecimento de urânio, etapa crucial para seu programa nuclear. A República Islâmica tem alertado que pode interromper o abastecimento de energia, caso a ONU imponha sanções no caso de sua rejeição em parar com o enriquecimento de urânio. "Eles demonstraram como é fácil provocar uma suspensão no suprimento de petróleo ao assumirem a plataforma ontem", comentou um analista.O ministro de Relações Exteriores do Irã, Hamid Reza Asefi, negou que o país tenha confiscado a plataforma Orizon. "A companhia romena pretendia dar andamento ao seu segundo roubo, ao remover a plataforma", disse. A plataforma Orizon é uma das duas unidades offshore operadas pela GSP em parceria com a Oriental Oil, de Dubai. No entanto, a Grup alega que não recebeu pelos seus trabalhos e está deve agora cerca de US$ 17 milhões em tarifas atrasadas. A empresa GSP, que encaminhou uma queixa sobre tarifas não-pagas à Corte Internacional de Arbitragem, em Paris, tem feito um lobby para que as autoridades iranianas permitam a remoção da plataforma das águas do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.