Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Em meio à crise financeira, secretário de Fazenda do Rio mantém folga por estafa

Folga teria sido uma exigência de seu médico cardiologista, pois Bueno é hipertenso; diagnóstico é de estafa e insônia

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2016 | 14h01

RIO - Em meio à crise fiscal que levou o governo do Estado do Rio a decidir pagar somente em 12 de maio os vencimentos de março de aposentados e pensionistas que recebem mais do que R$ 2.000 líquidos, o secretário estadual de Fazenda do Rio, Julio Bueno, tirará quatro dias de folga, a contar de hoje. Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Fazenda, o período de folga já estava agendado e é recomendação médica, por causa de estafa e insônia.

Na tarde de quinta-feira, o gabinete de Bueno foi invadido por servidores, ativos e inativos, que protestam contra a medida e queriam uma reunião. O secretário estava fora, no horário de almoço, e despachou o resto do dia no Palácio Guanabara, sede do governo estadual. O saguão do gabinete foi desocupado por volta das 2h30 desta sexta, sob ordens da Tropa de Choque da Polícia Militar.

A folga foi "exigência" do médico cardiologista Carlos Scherr. Bueno é hipertenso e, segundo sua assessoria de imprensa, o médico exigiu a folga como uma alternativa a uma licença de três meses. Ainda conforme sua assessoria, o médico aconselhou que Bueno deixasse o cargo, o que foi descartado pelo secretário.

A Secretaria de Fazenda informou ainda que, apesar da folga da rotina diária, Bueno seguirá acompanhando os trabalhos de casa e já conversou nesta sexta-feira com o governador em exercício, Francisco Dornelles. O trabalho cotidiano será liderado pelo subsecretário geral, Francisco Caldas, mas nenhuma decisão será tomada em a participação de Bueno. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.