Em Minas, Lula critica Aracruz Celulose

Ao comentar o empobrecimento do município de Governador Valadares nas últimas décadas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou hoje a empresa Aracruz Celulose, que após união com a Votorantim Celulose e Papel deu origem à Fibria. "De vez em quando aparece alguém vendendo facilidade de milagre. A última era que vinha para cá uma grande empresa de papel e celulosa, a Aracruz. Acontece que a Aracruz se meteu um uma enrascada. Tentou entrar nessa questão de derivativos, ganha dinheiro fácil, e entrou numa enrascada", disse o presidente, que participou hoje de inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na cidade mineira.

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

09 de fevereiro de 2010 | 15h59

No fim de 2008, a Aracruz Celulose foi uma das empresas brasileiras que revelaram grandes perdas por conta da alta do dólar. Na época, a empresa mantinha uma exposição grande ao derivativos ligados à moeda americana.

Hoje pela manhã, cobrado durante um programa de rádio, Lula também fez o ministro da Educação, Fernando Haddad, prometer instalar na cidade uma universidade federal, uma reivindicação antiga dos moradores da região.

Tudo o que sabemos sobre:
celulose, Aracruz, Lula, crítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.