André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

Em momento de resistência no Congresso, Temer reforça diálogo

Segundo o presidente, em seu governo há diálogo com o parlamento, o que permitiu que medidas que estão ajudando na saída da recessão fossem aprovadas

Thaís Barcellos e Elizabeth Lopes, Broadcast

29 de março de 2017 | 10h34

SÃO PAULO - Em um momento em que enfrenta resistências no Congresso, o presidente Michel Temer destacou a importância do diálogo, especialmente com os parlamentares, para o bom andamento de governo. A declaração foi dada em discurso na abertura do 10º Brazil Conference do BofA Merril Lynch nesta quarta-feira, 29. Na terça, nove senadores do PMDB assinaram uma carta contra a sanção do projeto de terceirização aprovado na Câmara, com a coordenação do líder da bancada, Renan Calheiros (PMDB-AL). Renan também criticou a reforma da Previdência, que chamou de exagerada.

Durante seu discurso, Temer afirmou que em sua administração há diálogo pleno com o parlamento, o que era uma demanda no governo anterior. Com isso, o presidente citou diversas medidas que foram aprovadas devido ao apoio do Congresso e estão ajudando na saída da recessão, como a PEC do Teto, a Reforma do Ensino Médio, a Lei das Estatais.

Em relação à Lei das Estatais, Temer disse que o projeto estava parado há muito tempo e a aprovação já gerou grandes resultados positivos, como a valorização de cerca de 145% das ações da Petrobrás, além dos papeis do Banco do Brasil e da Eletrobrás.

Sobre a PEC do Teto, o presidente lembrou que a medida precisou de um quórum especial no Congresso e mesmo assim foi aprovada em um curto prazo. Temer ainda criticou a oposição, que, segundo ele, dizia que sua administração ia acabar com os gastos públicos com saúde e educação. "No orçamento deste ano, aumentamos essas despesas em R$ 10 milhões."

O peemedebista ainda avaliou que a modernização das leis trabalhistas também logo deve ser aprovada. "Temos absoluta convicção de que aprovaremos essa 3ª reforma para o País." Mais uma vez, Temer ressaltou ao diálogo ao dizer que o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira conseguiu um acordo entre empregados e empregados em torno da reforma trabalhista, no qual o principal ponto é regulamentar a questão do acordado sobre o legislado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.