Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Em movimento surpresa, Fed reduz taxa de redesconto a 5,75%

Com redução da taxa, que determina juros de empréstimos a bancos comercias, Fed quer acalmar investidores

Reuters,

17 de agosto de 2007 | 09h52

O Federal Reserve reduziu nesta sexta-feira, 17, sua taxa de redesconto - juro cobrado pelo banco central nos empréstimos a bancos comerciais -, em um movimento surpresa que visa acalmar os mercados mundiais em meio aos temores com o setor de crédito e a liquidez. A taxa de redesconto caiu em 0,50 ponto percentual, para 5,75%. A taxa básica de juro foi mantida em 5,25% ao ano.   Veja também: Dólar cai 1,34% e devolve parte da alta; Europa volta a cair Crise já respinga na economia real Bolsa de Tóquio cai 11% em uma semana 'Por enquanto', Brasil está seguro diante da crise, diz Lula Brasil sairá da crise como escolhido para investimentos, diz Mantega Fechamento dos mercados nesta quinta-feira  Em quase um mês, empresas brasileiras perderam US$ 209,7 bi O sobe de desce do dólar Os efeitos da crise do setor imobiliário dos EUA        Em comunicado anunciando a decisão, o Fed disse que os riscos para o crescimento aumentaram "consideravelmente" e que está monitorando as condições e preparado para agir se necessário para amenizar efeitos adversos das turbulências dos mercados financeiros sobre a economia.   "As condições dos mercados financeiros se deterioram e as condições de crédito mais apertadas e crescentes incertezas têm o potencial de conter o crescimento econômico à frente", disse o Fed em comunicado.   "Visando promover a retomada das condições ordenadas dos mercados financeiros, o Fed aprovou mudanças temporárias em sua taxa de redesconto." O movimento pode reduzir o custo do dinheiro pelos bancos e ajudar a manter o fluxo de crédito na economia em um momento em que os investidores mostram-se temerosos de tomar empréstimos.   O banco central norte-americano informou ainda que permitirá aos Feds regionais que forneçam prazos de financiamento de 30 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
Aversão ao riscoFederal Reserve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.