coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Em Portugal, desemprego chega a 17,7%

Seguindo a tendência da Grécia e da Espanha, Portugal vive um crescimento acelerado do ritmo de desemprego e se mantém como o terceiro país em porcentual e volume de desempregados. Ao fim do primeiro trimestre de 2013, 17,7% dos trabalhadores em idade ativa não tinham postos de trabalho - um aumento de 16,2% em um ano.

PARIS, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2013 | 02h02

Ao todo, 952 mil portugueses, dos 10,5 milhões de habitantes do país, estão sem postos de trabalho. Isso significa 132,9 mil desempregados a mais no intervalo de um ano. Nesse ritmo, o país chegará ao início de 2014 com desemprego de 18,5%

O desemprego não afetou toda a sociedade portuguesa de maneira uniforme. Dos 132,9 mil postos de trabalho eliminados em um ano, 49,3 mil eram ocupados por pessoas com 45 anos ou mais e 44,8 mil vagas, por pessoas entre 25 e 34 anos (as duas faixas etárias concentram 70% do desemprego). A maioria dos desempregados no período (57,9%) é formada por homens (76,9 mil pessoas).

Mais da metade dos desempregados (69,8 mil) entre março do ano passado e março deste ano têm no máximo o terceiro ciclo do ensino básico - equivalente ao ensino fundamental completo no Brasil. Mais de 30 mil cursaram até o ensino secundário (médio) e 32,3 mil pessoas entre os novos desempregados têm curso superior.

Os números do desemprego, o pacote de austeridade e as divergências na base aliada do governo serão discutidos hoje no Congresso português. / A.N., COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.