Ueslei Marcelino|Reuters
Ueslei Marcelino|Reuters

Em posse de ministro, Temer diz que 'se Deus quiser, logo superaremos episódios de agora'

Durante cerimônia de posse de Ronaldo Fonseca na Secretaria-Geral, presidente se manifestou sobre a greve dos caminhoneiros reforçando a 'vocação para o diálogo'

Julia Lindner e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 16h55

BRASÍLIA - Durante cerimônia de posse do ministro Ronaldo Fonseca (Secretaria-Geral), nesta segunda-feira, 28, o presidente Michel Temer disse que "se Deus quiser, logo superaremos o episódio que estamos vivendo agora", fazendo referência à paralisação dos caminhoneiros, que chega hoje ao oitavo dia.

Temer disse que, no início das paralisações, recomendaram que ele usasse "de toda a força necessária" para logo no primeiro dia impedir qualquer movimento. "Esta não é a nossa vocação, nossa vocação é do diálogo, do acerto, da conciliação, do ajuste, que é o que fizemos ao longo da semana", rebateu Temer.

+ AO VIVO: Acompanhe notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto

O presidente disse que o novo ministro terá "muita tranquilidade" porque tem absoluta convicção de que, nos próximos dias, os caminhoneiros devem ouvir orientação de seus líderes para cessar a paralisação.

Temer disse que Fonseca foi escolhido justamente porque possui "vocação para o diálogo e para a conciliação". O presidente afirmou ainda que, como deputado federal, o atual ministro angariou "respeito do Congresso e do povo".

Novo ministro era contra Previdência e já pediu renúncia de Temer

Podemos desfilia Ronaldo Fonseca após assumir ministério

A nomeação de Fonseca já havia sido publicada no Diário Oficial da União (DOU) na última sexta. A cadeira estava vaga desde a ida de Moreira Franco para o ministério de Minas e Energia, no mês passado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.