Em prévia, credores sugerem liberação de ajuda à Grécia

Grupo ressalta, porém, que a sustentabilidade da dívida grega se deteriorou e continua preocupante

Álvaro Campos, da Agência Estado,

20 de outubro de 2011 | 10h33

A comissão de inspetores internacionais que avalia se a Grécia está apta a receber o pacote de ajuda financeira divulgou um relatório prévio no qual recomenda que a próxima parcela seja liberada o mais breve possível. O relatório final deve ser publicado "em breve", segundo o comunicado desta quinta-feira, 20.

Porém, o grupo de credores - formado pela Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) - ressalta que a sustentabilidade da dívida do governo grego se deteriorou nos últimos meses, continua "extremamente preocupante" e que as atuais dinâmicas não são sustentáveis.

No rascunho do relatório, a trinca afirma que as previsões para o crescimento da Grécia podem precisar de uma nova revisão para baixo e que a contração econômica será "substancialmente mais forte" do que o previsto. De acordo com as previsões do grupo, o déficit orçamentário grego deve atingir 8,9% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, recuando para 7% em 2012 e 5,3% em 2013. Em 2014 o déficit deve cair para 2,9%, obedecendo o Tratado de Maastricht.

Apesar da meta do déficit para 2012 ser de 6,5% - e a previsão da troica estar em 7% - o grupo afirma que esse porcentual está dentro do teto combinado.

A comissão avalia ainda que o ritmo das reformas implementadas pelo governo grego é insuficiente e que é necessário um consenso entre as principais forças políticas do país. Os inspetores dizem também que o programa de privatizações da administração precisa ser acelerado, para que os recursos obtidos (que podem chegar a 50 bilhões de euros no fim de 2015) ajudem na recapitalização dos bancos do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacriseajuda financeiratroica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.