EVARISTO SA/AFP
EVARISTO SA/AFP

Em pronunciamento, Bolsonaro agradece a Maia e deputados por resultado da CCJ

Comissão especial para análise da proposta de reforma da Previdência ainda tem apenas 13 membros titulares indicados; Maia trabalha para acelerar o processo.

Camila Turtelli e Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2019 | 20h45

Em pronunciamento na noite desta quarta-feira, 24, o presidente Jair Bolsonaro agradeceu o empenho de parlamentares e do presidente da Câmara Rodrigo Maia pela aprovação da proposta de reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. "O governo continua a contar com o espírito patriótico dos deputados", acrescentou o presidente.

O presidente disse que, se nada for feito, o País "não terá recursos para garantir uma aposentadoria para todos os brasileiros". Ele ressaltou ainda que o projeto diminui a desigualdade social no Brasil.

A fala em cadeia nacional vem um dia depois da vitória do governo na comissão. Apesar do placar de 48 votos a favor e 18 contrários, até que a votação fosse concluída o processo foi marcado por insistentes obstruções da oposição para atrasar a tramitação da proposta. A falta de dados do Ministério da Economia foi o ponto mais discutido durante a úlima sessão, que contou com a oposição enviando uma série de requerimentos para suspender os trabalhos até que os números do Ministério da Economia fossem disponibilizados.

Nos bastidores, Maia trabalha para acelerar o processo de formação da Comissão Especial para analisar a proposta de reforma. Até o momento são apenas 13 membros titulares indicados pelos partidos no sistema da Câmara. Para que o presidente da Casa possa instalar o colegiado e dar início aos trabalhos de análise da proposta é necessário a indicação de ao menos 26 titulares e também do presidente da comissão. Nos bastidores, Maia trabalhou nesta quarta-feira para acelerar esse trabalho, mas alguns partidos ainda não bateram o martelo.

Comissão Especial

Até o momento, PSD indicou seus três titulares - Darci de Matos (PSD-SC), Delegado Éder Mauro (PSD-PA) e Reinhold Stephanes Junior (PSD-PR) - e três suplentes: Marco Bertaiolli (PSD-SP), Marx Beltrão (PSD-AL) e Cezinha de Madureira (PSD-SP). PSDB também indicou três titulares: Beto Pereira (PSDB-MS), Daniel Trzeciak (PSDB-RS) e Samuel Moreira (PSDB-SP). Os tucanos colocaram Eduardo Cury (PSDB-SP), um dos nomes indicados para a relatoria da proposta, na suplência ao lado de Rodrigo de Castro (PSDB-MG). PTB colocou Marcelo Moraes (PTB-RS) na titularidade e Eduardo Costa (PTB-PA), na suplência.

O deputado Mauro Benevides (PDT-CE) e André Figueiredo (PDT-CE) ficaram com as duas titularidades do partido. No Pros, Capitão Wagner (CE) e Acácio Favacho (AP) ficaram como titular e suplente, respectivamente. Alex Manente (Cidadania-SP), Doutor Frederico (Patri-MG) e Vinicius Poit (Novo-SP) ocupam cada um a titularidade destinada aos seus respectivos partidos. PRB deve indicar seus nomes ainda hoje. Os três titulares serão Silvio Costa Filho (PE), Capitão Alberto Neto (CE) e Cleber Verde (MA).

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.