coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Em recessão, Espanha sofre maior queda do PIB em 15 anos

Contração de 1%, entre o 3º e o 4º tri, no entanto, ficou levemente melhor do que o projetado por analistas

ANDREW HAY, REUTERS

12 de fevereiro de 2009 | 09h31

A economia da Espanha registrou em 2008 a mais acentuada queda da atividade em 15 anos, jogando o país em uma recessão pela primeira vez desde 1993, à medida em que a crise financeira desmantelou o boom do setor de construção e os gastos dos consumidores.   Veja também: Queda na indústria da UE em dezembro é recorde De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise A Espanha foi o primeiro grande país da zona do euro a publicar os dados sobre o Produto Interno Bruto (PIB) dos últimos três meses de 2008 e a contração de 1% registrada entre o terceiro e o quarto trimestres ficou levemente melhor do que o projetado por analistas consultados pela Reuters, que esperavam uma queda de 1,1% do PIB espanhol. Ainda assim, essa foi a retração mais acentuada desde o primeiro trimestre de 1993 e se seguiu a uma queda de 0,3% do PIB no terceiro trimestre de 2008. Os recuos colocam a Espanha ao lado de Alemanha, Itália e Grã-Bretanha entre os países já em recessão. "Nós esperamos queda ainda mais acentuadas na primeira metade deste ano, de até 2,2 por cento na comparação anual. Nós ainda estamos longe do fundo do poço", afirmou Jose Luiz Martinez, estrategista do Citi. O instituto de estatísticas espanhol informou que na comparação anual o PIB do país encolheu 0,7%, também levemente melhor do que a queda de 0,8% estimada por economistas, mas ainda assim o pior resultado desde o segundo trimestre de 1993. A economia da Espanha, a quarta maior da zona do euro, cresceu apenas 1,2% em 2008, a taxa anual de expansão mais fraca desde a última recessão anual em 1993.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROESPANHAPIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.