Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

coluna

Carolina Bartunek no E-Investidor: 5 tendências prejudiciais para quem investe em ações

Em recuperação judicial, Saraiva tem 34 ações de despejo

Companhia, porém, afirma que as ações não afetam suas operações

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2019 | 17h55

Em resposta a questionamento realizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Saraiva, que está em recuperação judicial, confirmou que atualmente existem 34 ações de despejo contra suas lojas. Na resposta, a empresa afirma que por se tratarem de informações públicas, disponíveis nos sites dos Tribunais de Justiça de cada Estado onde se encontram as unidades, não viu necessidade de publicar Fato Relevante. Além disso, a companhia alega que as ações de despejo não afetam as operações.

Segundo a companhia, destas 34 pedidos de despejo, 28 tramitam em primeira instância. Outras sete tiveram pedidos de liminares deferidos, mas três tiveram seu efeito suspenso. Além disso, seis ações estão em segunda instância e tiveram sentença favorável ao despejo. Destas, três tiveram efeito suspensivo concedido.

No entanto, a Saraiva afirma que todas as ordens de despejo estão suspensa por decisão do juiz da Recuperação Judicial da companhia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.