FOTO DIDA SAMPAIO / ESTADÃO
FOTO DIDA SAMPAIO / ESTADÃO

Com riscos menores, principais bancos centrais reavaliaram ajuste na taxa de juros, diz Campos Neto

De acordo com Campos Neto, os riscos ligados à desaceleração da economia global se intensificaram

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2019 | 13h56

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou a avaliar há pouco, durante discurso em evento em Porto Alegre, que "o cenário parece desafiador" em relação à economia internacional.

De acordo com Campos Neto, os riscos ligados à desaceleração da economia global se intensificaram, em função das incertezas. "Embora as perspectivas mais favoráveis para as resoluções de disputas comerciais possam oferecer algum suporte para a retomada do crescimento, a desaceleração da economia global tem-se mostrado mais evidente, com indicadores recentes confirmando a moderação da atividade econômica e a redução dos níveis de confiança dos agentes", pontuou em discurso.

Por outro lado, o presidente do BC afirmou que os riscos ligados ao aperto das condições financeiras globais arrefeceram. "Com o balanço de riscos para a atividade alterado substancialmente para baixo, os principais bancos centrais reavaliaram suas intenções de ajustes nas taxas de juros em 2019, alongando o processo de normalização monetária", disse.

Campos Neto retomou, em sua fala, uma ideia presente em discursos e comunicados mais recentes: a de que o País tem capacidade para absorver um revés no cenário internacional. Segundo ele, isso se deve "ao seu balanço de pagamentos robusto, à ancoragem das expectativas de inflação e à perspectiva de recuperação econômica".

O presidente do Banco Central, afirmou ainda que o ambiente macroeconômico no Brasil tem se caracterizado por três fenômenos: consolidação da inflação ao redor das metas e expectativas ancoradas; recuperação gradual da economia brasileira; e taxas de juros nos mínimos históricos.

Segundo ele, porém, o Brasil precisa prosseguir no caminho das reformas, "notadamente as de natureza fiscal, e de ajustes na economia". Campos Neto proferiu hoje palestra no almoço de abertura do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre.

Campos Neto proferiu hoje palestra no almoço de abertura do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.