AFP PHOTO / Nicholas Kamm
AFP PHOTO / Nicholas Kamm

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Em retaliação, China anuncia tarifas de 25% sobre US$ 50 bi em produtos dos EUA

Medida é retaliatória às barreiras impostas por Washington a bens chineses

Victor Rezende, O Estado de S.Paulo

15 de junho de 2018 | 15h17

O Ministério de Finanças da China anunciou nesta sexta-feira que irá impor tarifas de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos importados dos Estados Unidos, como medida retaliatória às barreiras impostas por Washington a bens chineses.

Como justificativa, o Ministério apontou que as medidas americanas "violaram as regras relevantes da Organização Mundial do Comércio (OMC) e são contrárias ao consenso alcançado nas negociações sino-americanas, que violam seriamente nossos direitos e interesses legítimos e ameaçam os interesses de nosso povo e de nosso país".

+ ‘Guerra comercial é pior que juros altos’, diz professor de economia

O ministério também informou que, a partir de 6 de julho de 2018, serão impostas tarifas de aproximadamente US$ 34 bilhões em mercadorias americanas e o tempo de implementação das barreiras adicionais sobre outras commodities será anunciado separadamente. De acordo com a China, produtos agrícolas e automóveis americanos estão entre os itens que sofrerão tarifas já no início do próximo mês.

Durante a manhã, os EUA levaram adiante a ameaça feita anteriormente ao anunciarem a imposição de tarifas de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos chineses. O argumento utilizado pelo governo de Donald Trump foi o de que os EUA precisam reagir à transferência forçada de tecnologia e propriedade intelectual americanas.

+ FÁBIO ALVES: A ameaça Trump

Em sua nota, a administração citou que no total 1.102 produtos chineses foram alvos, em áreas como a aeroespacial, da indústria de informação, tecnologia de comunicações, maquinário industrial e novos materiais e automóveis, mas comentou que não serão alvos produtos "comumente comprados por consumidores americanos, como celulares ou televisores".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.