AFP PHOTO / Nicholas Kamm
AFP PHOTO / Nicholas Kamm

Em retaliação, China anuncia tarifas de 25% sobre US$ 50 bi em produtos dos EUA

Medida é retaliatória às barreiras impostas por Washington a bens chineses

Victor Rezende, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2018 | 15h17

O Ministério de Finanças da China anunciou nesta sexta-feira que irá impor tarifas de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos importados dos Estados Unidos, como medida retaliatória às barreiras impostas por Washington a bens chineses.

Como justificativa, o Ministério apontou que as medidas americanas "violaram as regras relevantes da Organização Mundial do Comércio (OMC) e são contrárias ao consenso alcançado nas negociações sino-americanas, que violam seriamente nossos direitos e interesses legítimos e ameaçam os interesses de nosso povo e de nosso país".

+ ‘Guerra comercial é pior que juros altos’, diz professor de economia

O ministério também informou que, a partir de 6 de julho de 2018, serão impostas tarifas de aproximadamente US$ 34 bilhões em mercadorias americanas e o tempo de implementação das barreiras adicionais sobre outras commodities será anunciado separadamente. De acordo com a China, produtos agrícolas e automóveis americanos estão entre os itens que sofrerão tarifas já no início do próximo mês.

Durante a manhã, os EUA levaram adiante a ameaça feita anteriormente ao anunciarem a imposição de tarifas de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos chineses. O argumento utilizado pelo governo de Donald Trump foi o de que os EUA precisam reagir à transferência forçada de tecnologia e propriedade intelectual americanas.

+ FÁBIO ALVES: A ameaça Trump

Em sua nota, a administração citou que no total 1.102 produtos chineses foram alvos, em áreas como a aeroespacial, da indústria de informação, tecnologia de comunicações, maquinário industrial e novos materiais e automóveis, mas comentou que não serão alvos produtos "comumente comprados por consumidores americanos, como celulares ou televisores".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.