Em reunião do G8, Palocci pedirá revisão da atuação do FMI

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou hoje em Londres que pedirá neste sábado ao Grupo dos Oito (G-8) uma revisão da atuação das instituições multilaterais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI).Ele destacou que falará com os ministros do G-8 sobre "a evolução do processo da revisão das instituições multilaterais", como o FMI, cujo diretor-gerente, o espanhol Rodrigo Rato, participa da reunião do Grupo dos Oito. "No FMI há uma tendência, e alguns países importantes que são membros do FMI indicam isso, de se transformar em uma instituição de supervisão (...). O Fundo deveria seguir outro caminho", afirmou Palocci. O ministro da Fazenda disse ainda que o FMI "deveria ser, em primeiro lugar, uma instituição preventiva".Ele também exporá a "preocupação" do Brasil com os "ajustes desnecessários nos campos monetário e fiscal que os países mais ricos continuam realizando". "É muito importante para os países emergentes que esses ajustes sejam realizados de forma planejada e transparente, e não de forma abrupta, de acordo com as forças do mercado. Isso representa uma importante diferença para o Brasil e para todos os países emergentes", disse.O ministro lembrou que "quando o Federal Reserve (Fed, banco central americano), em abril e maio do ano passado, indicou que haveria uma restrição monetária (alta dos juros) nos Estados Unidos, as taxas de risco das economias emergentes pioraram".Além disso, o Brasil elogiará no encontro "a nova iniciativa contra a pobreza no mundo", empreendida pelo Reino Unido na qualidade de presidente do G-8. A iniciativa visa a perdoar a dívida dos países mais pobres e dobrar as ajudas externas para essa nações.AgendaA reunião dos ministros de Economia do G-8 começou nesta sexta-feira em Londres com um jantar de trabalho, centrado na busca de um possível acordo para aliviar a dívida da África, fechado na noite de hoje entre o Reino Unido e os EUA para perdoar a dívida de 18 dos países mais pobres do mundo, entre eles a Bolívia e várias nações africanas.Palocci participará amanhã de um café da manhã com os ministros de Economia do G-8, grupo de sete países mais industrializados do mundo e a Rússia. Também participarão do encontro os ministros de Índia, África do Sul e China, que ao lado do Brasil formam o grupo de emergentes conhecido como IBSAC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.