Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Em São Paulo, inflação no primeiro trimestre é a menor em 20 anos

Índice de Preços ao Consumidor, calculado pela Fipe na capital paulista, marcou alta de 0,05% para os três primeiros meses do ano, menor resultado para o período desde 1998

Maria Regina Silva, O Estado de S.Paulo

03 Abril 2018 | 14h08

A alta de 0,05% na taxa de inflação no primeiro trimestre na capital paulista é a menor em 20 anos, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Em igual período de 1998, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve queda de 0,15%.

"O resultado do trimestre veio muito baixo e isso tem efeito nas estimativas para o restante do ano. Por isso, revisamos a estimativa para 2018 de 3,74% para 3,15%", afirma o coordenador do IPC da Fipe, André Chagas. "Só se acontecer algo que faça com que a inflação fique muito forte e descontrolada para compensar esse primeiro trimestre", completa.

+ 'Inflação não caiu só por conta da recessão', diz presidente do BC

Caso a estimativa de 3,15% seja confirmada, também será a mais baixa desde 1998, quando o IPC fechou com deflação de 1,79%. "A inflação continua bem comportada e há grande chance de o Banco Central descumprir o piso de 3% do centro da meta de 4,5%", diz, ao referir-se à taxa oficial de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A grande incerteza, diz, é em relação à eleição. "Se tivermos candidaturas, sejam de esquerda ou de direita, que provoquem desconfiança e consequentemente pressão cambial, podemos ter uma inflação maior. Porém, não é nosso cenário", avalia.

+ 'O Brasil é o melhor ativo que o mundo tem para investir', diz Trabuco

Em março, o IPC teve variação zero após ceder 0,42% em fevereiro, acumulando 1,93% em 12 meses. O resultado veio dentro do intervalo das expectativas da pesquisa do Projeções Broadcast, que ia de queda de 0,14% a alta de 0,07%, com mediana positiva de 0,04%.

A Fipe estimava 0,03% para o dado mensal. "No geral, os grupos vieram dentro do previsto. Só Alimentação teve alta menor, de 0,04%, em relação aos 0,10% que esperávamos", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.