Reuters
Reuters

Bolsa sobe mais de 2% com expectativa por Copom; dólar avança a R$ 5,25

Expectativa é que a taxa Selic seja reduzida para 2,25%, mas anúncio sairá apenas quando o mercado brasileiro já estiver fechado

Simone Cavalcanti, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2020 | 09h15
Atualizado 17 de junho de 2020 | 16h32

A tarde para os ativos domésticos é de busca pelo risco enquanto investidores aguardam, além da decisão em si, o comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom) com provável corte da Selic e chance de sinalização de redução adicional. As ordens de compra no mercado de ações seguem firmes com as perspectivas mais positivas sobre o cuidado com as contas públicas e a Bolsa de Valores de São Paulo , a B3, oscila nos 96 mil pontos enquanto seus pares em Nova York têm ganhos comedidos. Ao mesmo tempo, as incertezas sobre a recuperação econômica, principalmente dos Estados Unidos em um ambiente de possível segunda onda do coronavírus, levam o dólar a subir.

 

Há pouco, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, voltou a falar sobre as incertezas no processo diante da grave crise sanitária mundial. "Estamos no processo de recuperação, considerando que a covid-19 fique controlada", disse em apresentação para a Câmara dos Representantes. Segundo ele, provavelmente, a instituição está no fim da primeira fase de apoio à economia” e que o banco central americano tem mais recursos disponíveis para adotar medidas adicionais, se for necessário.

No Brasil, depois de encerrar maio com entradas líquidas de US$ 3,080 bilhões, o País registrou fluxo cambial negativo de US$ 561 milhões em junho até o dia 12, informou o Banco Central. O canal financeiro apresentou saídas líquidas de US$ 463 milhões no período. E a posição cambial líquida do BC atingiu US$ 297,586 bilhões.

E ainda, o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, apesar das dificuldades de se traçar um cenário para a recuperação do setor aéreo, estima que o mercado doméstico brasileiro deverá voltar a patamares anteriores à pandemia do covid-19 em meados de 2021. Com a declaração, as ações da aérea já caem 0,42%, segunda maior queda da B3 hoje.

Às 16h24, o Ibovespa, principal índice de ações do mercado brasileiro, ganhava 2,7%, aos 96.064,71 pontos. Em Nova York, o índice Dow Jones subia 0,10%, enquanto Nasdaq, 0,80%. No mercado de câmbio, às 16h26, o dólar à vista era negociado a R$ 5,2593, em alta de 0,26%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.