Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Em sessão volátil, Bovespa sobe 2,2% com rali no final

Numa sessão volátil e de giro enxuto, a Bolsa de Valores de São Paulo fechou o dia na máxima, impulsionada por ganhos de setores ligados ao mercado doméstico e pela disputa no mercado de opções com papéis das blue chips Petrobras e Vale. Monitorando Wall Street à distância, o Ibovespa chegou a despencar quase 4 por cento antes de reverter e fechar com valorização de 2,2 por cento, na máxima, aos 39.373 pontos. Com isso, encerrou a semana com alta de 11,4 por cento. Essa volatilidade teve patrocínio do baixo giro financeiro, que somou apenas 3,54 bilhões de reais. Pela manhã, os investidores reagiram com pessimismo a notícia de que o Senado dos Estados Unidos negou aval ao plano do governo para repasse de 14 bilhões de dólares a montadoras. Mais tarde, no entanto, o pessimismo foi amainado com declarações de membros do governo, mencionando que alternativas poderiam ser adotadas para compensar a derrota no legislativo, inclusive o uso de parte do pacote de 700 bilhões de dólares para salvar o sistema financeiro da bancarrota. Além disso, o índice de confiança do consumidor do país cresceu inesperadamente em dezembro acrescentou otimismo, levantando expectativas de que medidas adotadas para estancar a crise, como corte de juros, podem estar surtindo efeito. No final, o mercado acionário doméstico acabou refletindo mais as expectativas dos investidores com o mercado doméstico. Ainda refletindo o pacote de medidas anunciadas pelo governo doméstico na quinta-feira para estimular o consumo, como corte de impostos, ações de bancos e de varejistas se destacaram. Lojas Americanas deu um salto de 6,9 por cento, a 7,12 reais. No setor financeiro, o destaque foi Unibanco, com avanço de 5,1 por cento, para 16,80 reais. "Em relação ao tamanho da economia, o pacote é pequeno, mas dá uma sinalização muito positiva", disse o economista-chefe da Bradesco Corretora, Dalton Luis Gardiman. Outro ingrediente que contribuiu para impulsionar o mercado doméstico foi a disputa pelos contratos de opções, que têm exercício na próxima segunda-feira. Petrobras e Vale, as mais importantes desse segmento, fecharam no azul, mesmo com a queda nos preços das commodities. Petrobras subiu 1,2 por cento, para 22,60 reais. Vale ganhou 1,1 por cento, cotada a 25,05 reais.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

12 de dezembro de 2008 | 19h19

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.