Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Em SP, Cristina Kirchner diz que mundo vive 'crise de ideias'

Presidente argentina afirma que América Latina deve aproveitar cenário para avançar rumo ao desenvolvimento

Efe,

20 de março de 2009 | 16h13

A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, disse nesta sexta-feira, 20, na cidade de São Paulo que o mundo vive uma "crise de ideias" que ficou evidente com a atual conjuntura internacional. Cristina acrescentou que os países latino-americanos devem aproveitar essa situação para avançar rumo a seu próprio desenvolvimento.

 

"Não é só uma crise financeira e econômica, é também uma crise de ideias, o que dá a oportunidade histórica à região de aprofundar os processos de industrialização e inovação tecnológica", afirmou a presidente durante o encerramento de um evento com empresários brasileiros e argentinos.

 

A chefe de Estado da Argentina convocou o setor financeiro a se colocar "a serviço da produção e do trabalho" e lembrou que inclusive em períodos difíceis da história recente, como os das ditaduras, "os dirigentes brasileiros sempre tiveram a capacidade de desenvolver sua indústria."

 

Cristina e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerraram nesta sexta o seminário "Oportunidades de Comércio, Negócios e Investimentos entre Argentina e Brasil", realizado desde quinta na sede da Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

 

Antes do fim do evento, Lula e Cristina se reuniram em particular para conversar sobre as relações bilaterais e sobre outros assuntos de interesse geral, como a crise mundial. O presidente afirmou que a crise exige soluções coletivas e não individuais. Nesse sentido, defendeu o papel do Grupo dos Vinte (G20, países ricos e principais emergentes), do qual fazem parte Brasil e Argentina, como articulador das possíveis respostas à crise.

 

"Vimos que o G8 (sete maiores economias do mundo e a Rússia) está longe das necessidades atuais, mas o G20 já é parte da solução. Vamos propor o restabelecimento do fluxo interbancário e de crédito", ressaltou Lula. O G20 fará uma reunião de cúpula a partir do próximo dia 2, em Londres.

 

Lula ainda disse que o Brasil e Argentina têm "confiança na solidez de suas economias" apesar dos problemas causados pela crise e assegurou: "Cresceremos menos este ano, mas vamos continuar crescendo". Por fim, o presidente declarou que "argentinos e brasileiros não podem se ver como adversários."

Tudo o que sabemos sobre:
Cristina KirchnerLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.