coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Em SP, venda de imóveis residenciais cresce 21,5%

As vendas de moradias cresceram no início do ano, mas os lançamentos de novos projetos recuaram, conforme mostra pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 10, pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

CIRCE BONATELLI, Agencia Estado

10 de março de 2014 | 07h21

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo somaram 1.030 unidades em janeiro, alta de 21,5% em comparação com o mesmo mês do ano passado. A comercialização desses imóveis movimentou R$ 484,2 milhões, 10,1% mais que um ano antes, já considerando dados atualizados pelo INCC.

Já o número de lançamentos totalizou 413 unidades, uma redução de 37,4%, de acordo com dados compilados pela Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) para o Secovi-SP.

No acumulado de 12 meses (entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014), as vendas atingiram 33.501 unidades, crescimento de 25,3%, enquanto os lançamentos totalizaram 32.951 unidades, alta de 15,6%.

A velocidade das vendas (total de unidades vendidas dentre o total disponível no estoque) em 12 meses foi de 63,0%. Essa velocidade era de 56,1% nos 12 meses encerrados em janeiro de 2013.

Em geral, os números ficaram em linha com o visto ao longo do ano passado, quando o mercado teve resultado satisfatório na avaliação do presidente interino do Secovi-SP, Flávio Prando. "Apesar da percepção generalizada de que a economia nacional está ruim, os fundamentos que estimulam o mercado imobiliário continuam bons e fortes", afirmou, em nota.

O Secovi-SP acredita que o volume de lançamentos e vendas em 2014 fique estável na comparação com 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
imóveis residenciaisjaneiroSecovi-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.