Mark Schiefelbein/Reuters
Mark Schiefelbein/Reuters

Em telefonema, China alerta EUA que irá defender seus próprios interesses comerciais

Vice-primeiro ministro chinês e secretário do Tesouro dos EUA conversaram por telefone neste sábado, 24

Reuters

24 Março 2018 | 15h36

PEQUIM - Os Estados Unidos desrespeitaram as regras comerciais com uma investigação sobre propriedade intelectual e a China defenderá seus interesses, disse o vice-primeiro ministro Liu He ao Secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, em uma ligação telefônica neste sábado, 24, informou a mídia estatal chinesa.

++  Conflito entre EUA e China pode favorecer exportador brasileiro de carne suína

O telefonema entre Mnuchin e Liu, um confidente do presidente Xi Jinping, foi o contato de mais alto nível entre os dois governos desde que o presidente dos EUA Donald Trump anunciou planos para tarifas de até US$ 60 bilhões em produtos chineses na quinta-feira 22.

Um agravamento das diferenças têm provocado turbulências nos mercados financeiros e no mundo corporativo, com os investidores prevendo terríveis consequências para a economia global caso as barreiras comerciais comecem a ser levantadas.

++ China avisa que está preparada para defender ‘interesses nacionais’ em guerra comercial contra EUA

Diversos chefes executivos dos EUA, que participaram de um fórum de alto nível em Pequim neste sábado, incluindo Larry Fink, da BlackRock Inc., e Tim Cook, da Apple, pediram moderação.

Em seu telefonema com Mnuchin, Liu, um economista formado em Harvard, disse que a China ainda espera que os dois lados permaneçam “racionais” e trabalhem juntos para manter as relações comerciais estáveis, informou a agência oficial de notícias Xinhua.

Autoridades dos EUA dizem que uma investigação de oito meses sob a Lei de Comércio dos EUA de 1974 descobriu que a China se envolve em práticas comerciais desleais, forçando os investidores americanos a entregar as principais tecnologias para as empresas chinesas.

++ Dólar atinge maior cotação do ano, de R$ 3,31, pressionado por 'guerra comercial' dos EUA

No entanto, Liu disse que o relatório investigativo “viola as regras do comércio internacional e não beneficia os interesses chineses, os interesses dos EUA ou os interesses globais”, segundo a Xinhua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.