Em troca, uma sala comercial

Sem crédito, investidores buscam negociações para não perder dinheiro

Naiana Oscar, O Estado de S. Paulo

24 Maio 2015 | 21h33

No início de maio, o empresário Leandro Cavalcante, de 31 anos, procurou a incorporadora PDG para dar fim ao que vinha lhe tirando o sono havia mais de um mês: a entrega das chaves de um apartamento comprado em 2012, em São Bernardo do Campo, como investimento. Dono de um revenda de autopeças, ele conseguiu pagar 20% do imóvel, mas teria de financiar agora R$ 330 mil. “Sem o crédito, eu queria desfazer o negócio, mas me fizeram uma proposta interessante e aceitei.” 

Cavalcante usou o valor que já tinha pago à construtora para dar de entrada em outra unidade e trocou a dívida de R$ 330 mil por uma de R$ 80 mil, que teria condições de financiar. Agora, é dono de uma sala comercial em São Bernardo. “Ainda não sei o que fazer com ela, porque até umas semanas atrás eu não pensava em ter uma sala comercial”, afirmou. “Mas tirei um caminhão de peso das minhas costas.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.