Divulgação
Divulgação

Em um ano indústria dispensou 216 mil trabalhadores e construção, 73 mil

Já o comércio aparentemente não começou ainda o processo de dispensa de funcionários temporários; na passagem dezembro para janeiro, foram contratados 13 mil pelo setor

Daniela Amorim, O Estado de S. Paulo

26 Fevereiro 2015 | 10h32


RIO - A indústria foi o setor que mais cortou postos de trabalho no último ano, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda no total de ocupados foi de 6% em janeiro ante janeiro de 2014, o equivalente a 216 mil vagas eliminadas. Na comparação com dezembro, o recuo no número de trabalhadores foi de 1,3%, 45 mil postos de trabalho cortados. "A fotografia de agora é dispensa de trabalhadores em algumas atividades e maior procura por trabalho", resumiu Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Na construção, houve dispensa de 73 mil funcionários em janeiro ante janeiro do ano passado, queda de 4,2% no total de ocupados na atividade. Na comparação com dezembro, o recuo foi de 0,7%, 11 mil empregados dispensados.

Já o comércio aparentemente não começou ainda o processo de dispensa de funcionários temporários. O número de ocupados cresceu 0,3% na passagem de dezembro para janeiro, 13 mil contratados a mais. Em relação a janeiro de 2014, também houve elevação de 0,3% na ocupação, com a criação de 11 mil vagas.

"A dispensa de temporários não necessariamente ocorre toda em janeiro, ela pode se diferir entre as regiões", lembrou Adriana. 

Nos serviços prestados a empresas, houve queda de 1,1% na ocupação em janeiro ante dezembro, 41 mil vagas a menos. Em relação a janeiro de 2014, a ocupação ainda cresceu 1,7%, 65 mil postos a mais.

O setor de educação, saúde e administração pública teve redução de 3,2% no montante de ocupados em janeiro ante dezembro, 125 mil pessoas a menos. Na comparação com janeiro do ano passado, a queda foi de 1,4%, 53 mil postos eliminados.

Nos serviços domésticos, a ocupação diminuiu 3,3% na passagem de dezembro para janeiro, 47 mil trabalhadores a menos. Em relação a janeiro de 2014, houve aumento de 1,8%, 25 mil empregados a mais. Na atividade de outros serviços, o total de ocupados cresceu 0,7%, 29 mil pessoas a mais. Em relação a janeiro do ano passado, o aumento foi de 3,6%, com 153 mil vagas criadas no período de um ano.

Mais conteúdo sobre:
empregoindústriaconstrução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.