Em vez de Gianecchini, brioche

O vídeo dos bastidores durante a seleção de figurantes para o comercial da margarina Delícia, do Grupo Bunge, ficou tão divertido que foi parar no YouTube. Chamadas para um teste, as mulheres convidadas descobriram nas entrevistas que, na hora da gravação, beijariam atores bonitões da TV. Como algumas iam acompanhas de marido ou namorado, as reações ficaram ainda mais engraçadas.

, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2010 | 00h00

Aproveitar a espontaneidade dessas situações virou recurso explorado nas ações de marketing das empresas. Com ele, as agências de propaganda potencializam o resultado do comercial graças ao bochicho que esses bastidores provocam ao serem veiculados na internet. Há boas razões para isso, já que atrair a atenção do consumidor diante de uma mídia tão segmentada está ficando cada vez mais difícil

A proposta da propaganda, criada pela agência Lew, Lara\TBWA, é convencer que a Delícia é tão gostosa que uma dona de casa vendada preferiria um brioche com a margarina a beijar na boca o trio de atores Reynaldo Gianecchini, Márcio Garcia e Vladimir Brichta.

Dá para imaginar uma consumidora dispensando uma beijoca do Gianecchini? Não, lógico. Tanto é assim que, desde que o comercial entrou no ar, há 20 dias, os comentários mais frequentes nas ações de degustações do produto que estão sendo promovidas nos pontos de venda são: "Ah, essa que é a margarina do Gianecchini?" ou "Quem é a sortuda que beija o Gianecchini no comercial?"

A sortuda teve de fazer o sacrifício de beijar o ator 50 vezes durante as filmagens, segundo a assessoria da agência. É uma atriz profissional, habituada a contracenar em comerciais.

Antes da filmagem, porém, foram feitas as entrevistas com mulheres comuns. Uma empresa recrutou quem tivesse o perfil da consumidora da marca: casada, mãe, dona de casa. No total, cerca de cem pessoas estiveram presentes no local para a seleção.

As reações, com os momentos mais curiosos de 20 participantes, foram editadas no vídeo que se tornou um viral de dois minutos que está na internet./ M.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.