Embaixador brasileiro defende definição sobre Mercosul

Os países do Mercosul precisam definir, o quanto antes, se vão adotar uma visão regional para a solução dos seus problemas ou se passarão a adotar políticas independentes. A avaliação foi feita hoje pelo embaixador Botafogo Gonçalves, que ocupou a embaixada brasileira na Argentina, em evento sobre a integração sul-americana, promovido pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).Segundo ele, o Mercosul vive um paradoxo. De um lado, enfrenta problemas, sobretudo comerciais, que dão um indicativo de fracasso, mas acumulam avanços institucionais desde a criação. "Acredito que uma visão regional e de cooperação estratégica tende a ser melhor do que cada um praticar políticas nacionais independentes", comentou.Durante sua apresentação, fez um histórico da formação do bloco e citou que nos últimos anos a relação entre os governos melhorou bastante, mas houve grande piora nas relações comerciais. "A Argentina está tomando iniciativas que vão contra o livre comércio e tudo o que foi negociado", afirmou, sem citar diretamente as recentes restrições às exportações brasileiras de eletrodomésticos nem as disputas no setor têxtil do primeiro semestre. Liderança brasileiraEle defendeu hoje que Argentina e Brasil devem aprofundar um "entendimento estratégico", em prol do desenvolvimento regional e do próprio Mercosul. Para ele, a opção pela real integração e definição de aliança com a Argentina "depende essencialmente" do lado brasileiro, que é o país que tem "condições de liderar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.