Embaixador defende ação conjunta dos Brics

O presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), embaixador Rubens Barbosa, defendeu nesta terça-feira que o bloco dos países emergentes reunidos no Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) trabalhe por propostas comuns para que essas nações aumentem a influência na política mundial. Em discurso realizado na sede da Fiesp, durante o seminário "O Brasil, os Brics e a Agenda Internacional", Barbosa disse que propostas "realistas e pragmáticas" deveriam ser analisadas já na próxima reunião do bloco, em 2013, na África do Sul.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

31 de julho de 2012 | 11h43

"O grupo vai ter influência crescente no cenário internacional à medida que apresentar propostas comuns e operar de maneira conjunta", afirmou o embaixador.

Como exemplo de proposta no campo político, Barbosa citou uma retomada do plano da Arábia Saudita para o Oriente Médio. A proposta consiste em criação do Estado Palestino em troca do reconhecimento de Israel por parte de todos os países árabes, mas foi engavetada pelo ex-presidente norte-americano George W. Bush depois de apresentada. "As negociações são complexas e uma atuação dos Brics poderia quebrar a inércia que existe hoje no tema", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
FIESPSEMINÁRIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.