Embaixador Rubens Barbosa cobra iniciativa dos empresários

O embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, disse hoje que o setor privado brasileiro deveria tomar mais iniciativas para a internacionalização de suas empresas, captação de investimentos ou até mesmo para a promoção de seus produtos fora do País e não esperar apenas "essa ou aquela" orientação do governo federal. De acordo com ele, o papel do Estado é o de regulamentar e incentivar, mas as iniciativas precisam partir do setor privado.O embaixador foi duro ao afirmar que a única alternativa para o Brasil acompanhar o desenvolvimento econômico do mundo e o processo de globalização é crescer com competitividade. "A globalização não confronta países, mas empresas", alertou.Barbosa lembrou ainda que o Brasil está perdendo participação relativa no comércio mundial, principalmente com os Estados Unidos. ?A participação brasileira na fatia do mercado mundial não passa de 0,8% ou 0,9%". Mas o mais grave disso, acrescentou, "é a perda de mercado nos EUA, onde as exportações brasileiras representam hoje menos de 1% do total das importações norte-americanas".O embaixador fez, no entanto, uma mea culpa ao afirmar que o custo Brasil, responsabilidade quase que exclusivamente do Estado, é um dos maiores "impeditivos" para o aumento de competitividade do setor privado. Citou, por exemplo, a corrupção, a carga tributária e a mudança de regras numa longa lista de fatores que aumentam o custo Brasil. "A eficiência se vê afetada também pelo baixo nível de educação", acrescentou o embaixador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.