coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Embaixadora dos EUA atribui nervosismo aos mercados em geral

A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Donna Hrinak, atribui a turbulência no mercado brasileiro ao "nervosismo dos mercados em geral". "Para uma pessoa que está voltando para o Brasil depois de 15 anos fora, eu vejo todos os esforços que o Brasil tem feito, especialmente nos últimos oito anos, para criar uma estabilidade econômica e uma maturidade política. Na realidade, não vejo por que os mercados estão reagindo assim. Eu vejo, no Brasil, um time econômico que toma as decisões certas, no momento certo. Na realidade eu acho que tem que se atribuir ao nervosismo do mercado em geral", afirmou a embaixadora, em entrevista ao programa Bom Dia Brasil, da TV Globo. "Se eu entendesse bem dos mercados não teria que trabalhar para o governo", acrescentou. Ela negou que o governo George W.Bush ignore o Brasil. Segundo Donna, o presidente norte-americano assumiu o cargo com interesses no Brasil e na América Latina, mas os atentatos terroristas de setembro do ano passado desviaram o enfoque de Bush. A embaixadora lembrou que os Estados Unidos sempre foram um dos mercados mais abertos do mundo e que no Brasil pode ser feito muito mais para se aproveitar o mercado norte-americano. ?O importante agora é negociar", afirmou a embaixadora, referindo-se à Alca. Com relação ao protecionismo aos produtores norte-americanos, Donna Hrinak disse que em comparação com outros países, como a União Européia e o Japão, "é muito pouco". "Estamos tomando conta dos nossos compromissos internacionais, mas temos que nos defender de medidas de outros países", afirmou. Sobre uma possível vitória de um governo de esquerda no Brasil, a embaixadora manteve a diplomacia: "A decisão sobre o próximo governo do Brasil é uma decisão para o povo brasileiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.