Embarques da indústria elétrica e eletrônica recuam

As exportações das indústrias de equipamentos elétricos e eletrônicos caíram 5% em 2012, elevando o déficit na balança comercial ao valor mais alto já registrado pelo setor: US$ 33,4 bilhões, ou 3% a mais que em 2011, aponta relatório anual da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), divulgado na manhã desta quinta-feira (13). As exportações totalizaram US$ 7,8 bilhões neste ano. Já as importações chegaram a US$ 41,2 bilhões, alta de 1% ante 2011.

GUILHERME WALTENBERG, Agencia Estado

13 de dezembro de 2012 | 11h52

A queda nas exportações, aponta o relatório, foi influenciada diretamente pela Argentina, que comprou 23% menos produtos elétricos e eletrônicos do Brasil em 2012, em comparação com o ano anterior. Excluída a Argentina, houve crescimento de 1% nas exportações, se medidas em dólares. Em real, o aumento foi de 17%. O gerente de Economia da Abinee, Luiz Cézar Rochel, explicou que essa diferença é explicada pela desvalorização de 16% do real ao longo do ano.

A participação das exportações no faturamento total das indústrias de elétricos e eletrônicos passou de 9,9% em 2011 para 10,4% em 2012. "Em 2006, esta participação era de 19,2%", ressalta o relatório.

O setor que mais elevou as importações foi o de "componentes elétricos e eletrônicos", com alta de 7%. O setor representa 56% das importações totais das indústrias elétrica e eletrônica, segundo o relatório.

A China é a origem da maior parte dos importados, detalha o relatório. "A China continua ganhando espaço nas importações do setor, aumentando sua representatividade de 35,9% em 2011 para 36,8% em 2012", descreveu o relatório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.