Embraer começa a fabricar seu maior avião

A Embraer apresenta na segunda-feira, em São José dos Campos (SP), o seu novo modelo de avião, o Embraer 190, o maior já fabricado pela empresa. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou presença. Segundo o vice-presidente da companhia, Horácio Forjaz, o novo avião, que custa US$ 30 milhões, já tem compradores. A norte-americana JetBlue encomendou cem unidades, no valor de US$ 3 bilhões, e assinou mais cem opções de compra. A Air Canadá comrpou 45, no valor de US$1,35 bilhão. O Embraer 190 é o terceiro modelo de uma família que inclui o 170, 175, 190 e 195 - este último ainda sem data para fabricação - lançada em 1999, em cujo desenvolvimento foi investido US$ 1 bilhão. O 190 é um pouco maior que os anteriores. Tem 36,24 metros de comprimento, 10,55 metros de altura e 108 assentos. Por isso, tem asas maiores, de 28,72 metros, e motores mais potentes. Seu alcance é de 2.200 milhas náuticas, (4,1 mil quilômetros), a uma velocidade de 830 quilômetros por hora. Com quatro portas, o avião permite flexibilidade na configuração das cabines, seja para uma ou duas classes, e ainda apresenta lavatórios na frente e atrás, que permite melhor serviço de bordo. De acordo com Forjaz, o lançamento ocorre no momento em que o transporte aéreo mundial exige aviões de baixo custo, com menos lugares, mas com os mesmos níveis de conforto e segurança dos grandes. A crise decorrente dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos, fez com que as companhias aéreas ficassem mais enxutas e inovassem para manter a qualidade e a clientela. Vôos com apenas metade da capacidade ocupada ficaram inviáveis. Por isso, os aviões menores começaram a conquistar mercado. "Por esse motivo, o 190 é recebido de maneira muito positiva. É uma das estrelas da aviação no período pós-ataques", afirma o vice-presidente. Além disso, segundo ele, pesquisas mostram que, nos últimos 15 anos, o segmento da indústria aeronáutica que mais cresceu foi o de aviões de médio porte, de 50 a 100 passageiros. "E é nesse mercado que estamos nos fixando e virando referência", observou. Diante da nova tendência do mercado, a Embraer não planeja fabricar aviões maiores. "O quarto modelo será o Embraer 195, para até 118 lugares, e vamos seguir nessa linha. Fabricada em São José dos Campos (SP) o 190 tem 50% dos componentes importados e a outra metade produzida no Brasil. "Existe um grande esforço da Embraer para trazer parceiros estrangeiros como a Kawasaki, que se instalou em Gavião Peixoto (SP), em abril de 2003, para fornecer as asas das aeronaves". Entre os 16 parceiros e 22 fornecedores da Embraer estão a General Eletric, que faz os motores. Conheça o Embraer 190 por dentro com um tour de 360º

Agencia Estado,

05 de fevereiro de 2004 | 10h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.