bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Embraer espera definição sobre caças da FAB

O vice-presidente de relações exteriores da Embraer, Henrique Rzezinski, afirmou que a empresa aguarda para até o final deste mês o desfecho da licitação de compra dos caças da Força Aérea Brasileira (FAB), um contrato de US$ 700 milhões. A Embraer, na opinião dele e de alguns analistas, é uma das favoritas. "Todos os aviões são excelentes, de alta performance e atendem às especificações da FAB. O que a Embraer está propondo é algo diferente, que á a absorção de tecnologia", disse Rzezinski. A Embraer se associou à francesa Dassault para produzir o Mirage 2000 BR na fábrica de Gavião Peixoto, na região de Araraquara, no interior de São Paulo, e que será inaugurada na próxima terça-feira. O acordo entre as duas empresas prevê a transferência de tecnologia, inclusive com acesso aos códigos-fonte (coração dos softwares que controlam os aviões). "Para nós, o critério não é o contrato comercial, é a capacitação que temos que estar constantemente buscando", disse. A transferência é a principal aposta da Embraer, cujo avião é considerado excelente pelos pilotos da FAB que o testaram. Concorrem com o Mirage 2000 BR o Gripen, do consórcio sueco-britânico Saab-BAE, o Mig-29, da Rac-Mig, o Sukhoi, da Rosoboronexport (ambos russos), e o F-16, da norte-americana Lockheed Martin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.