Reuters
Reuters

Embraer lança aviões executivos de médio porte

Brasileira busca revitalizar divisão que tem competidores de peso após aliança com a Boeing no setor de aeronaves comerciais, que tem melhor performance

Reuters, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2018 | 22h56

ORLANDO, EUA - A Embraer está acrescentando dois jatos executivos de maior alcance à sua linha Legacy, de aeronaves de médio porte, com cabines remodeladas e tecnologia que reduz turbulências, deixando os voos mais suaves, disse ontem a fabricante de aeronaves brasileira.

O lançamento dos dois modelos Praetor – nomeados em homenagem aos oficiais da Roma Antiga – coincide com o tradicional evento da indústria de aviões executivos em Orlando, entre os dias 16 e 18, e ocorre num momento em que a Embraer busca uma estratégia mais ampla para revitalizar sua deficitária divisão de aviões executivos.

Quando os modelos Praetor chegarem ao mercado em 2019, eles se juntarão a um espaço fortemente competitivo, que inclui o Challenger 350, da Bombardier, e o G280, da Gulfstream, com o futuro Cessna Citation Longitude, da Textron.

A revitalização da unidade de jatos executivos da Embraer é importante porque a companhia não poderá mais contar com a divisão de aviação comercial, que tem a melhor performance, se o acordo para unir a divisão de aeronaves comerciais com Boeing for adiante.

A Embraer e a Boeing anunciaram a aliança de US$ 4,75 bilhões em julho. Se o governo brasileiro concordar em ceder o controle da unidade de aviões comerciais à Boeing, a Embraer ficará com as duas divisões remanescentes, que estão no vermelho: jatos executivos e Defesa.

O presidente executivo da Embraer, Paulo César de Souza e Silva, disse neste domingo que o acordo com a Boeing também traria vantagens na aquisição de materiais para a divisão de jatos executivos da Embraer, mas ainda é cedo para dizer quanto economizaria. “Está em discussão”, disse ele. “Acho que a parceria com a Boeing ajudará nos negócios da Embraer.”

O tamanho do mercado

A divisão de jatos executivos tem cerca de 22% de participação de mercado em termos de unidades, acrescentou ele. O lançamento do Praetor acontece sob a direção de Michael Amalfitano, que assumiu a divisão de jatos executivos da Embraer em 2017 com o plano de oferecer aos clientes tecnologias avançadas e características de luxo que entreguem margens maiores. “O cliente aprecia esse valor e, portanto, nos permite manter os preços”, disse Amalfitano no lançamento.

Amalfitano disse que a Embraer já garantiu pedidos firmes para os aviões Praetor, embora tenha se recusado a citar números.

O Praetor 500 será a aeronave de médio porte mais rápida da indústria, capaz de viajar da costa oeste dos EUA à Europa com uma única parada, disse a Embraer. Já o Praetor 600, considerado como supermédio, pode transportar quatro passageiros entre Londres e Nova York sem escala. 

Mais conteúdo sobre:
EmbraeraviaçãoBoeingavião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.