Embraer revê para baixo expectativa de vendas deste ano

O presidente da Embraer, Mauricio Botelho, disse hoje que a empresa reviu de 132 para 110 a quantidade de aeronaves a serem entregues este ano, por conta da crise que atinge o mercado internacional da aviação nos segmentos comercial e corporativo. Botelho disse que o rebaixamento das expectativas de venda para 2003 significa uma perda de receita de US$ 400 milhões. "Obviamente não estamos felizes com isto", afirmou o executivo durante jantar oferecido pela empresa na 46ª Feira Aeronáutica de Paris. No entanto, Botelho disse que a redução de 22 aeronaves nas encomendas confirmadas para este ano deverá ser compensada em 2004, quando a empresa deverá construir 160 aeronaves, em lugar das 136 inicialmente previstas, conforme cronograma negociado com os clientes.Ainda no terreno das más notícias divulgadas em Paris, Botelho anunciou que a certificação do jato Embraer 170, que estava prevista para julho no Brasil e nos Estados Unidos, foi adiada para novembro, por problemas no desenvolvimento do software da aeronave. Conseqüentemente, também será adiada a entrega do primeiro 170 que estava prevista para agosto, de acordo com um contrato com a Alitália.Botelho argumentou que as boas notícias neutralizam as más, lembrando que na última terça-feira a empresa divulgou um negócio de US$ 3 bilhões, com a encomenda de 100 jatos Embraer 190 pela norte-americana JetBlue Airways. "A Embraer tem grandes oportunidades pela frente", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.