Paulo Whitaker/Estadão
Paulo Whitaker/Estadão

Embraer tem prejuízo de R$ 196,1 milhões no primeiro trimestre

Fabricante de aeronaves reverteu o lucro de R$ 258,7 milhões registrado no mesmo período de 2014; câmbio impactou resultado 

Luciana Collet, O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2015 | 08h07

A fabricante de aeronaves Embraer registrou um prejuízo líquido atribuído a  acionistas de R$ 196,1 milhões no primeiro trimestre deste ano, revertendo o lucro líquido de R$ 258,7 milhões reportado no mesmo período do ano anterior.

Já o lucro no critério ajustado - excluindo o Imposto de Renda e contribuição social diferidos no período - foi de R$ 131,1 milhões nos três primeiros meses do ano, o que representa uma queda de 11% sobre os R$ 147,3 milhões do primeiro trimestre de 2014.

O Ebitda, importante indicador da geração de caixa, teve alta de 20,9% na mesma comparação, para R$ 429 milhões. A margem Ebitda subiu  1,9 ponto porcentual (p.p.) e passou de 12,1% no primeiro trimestre de 2014 para 14% na mesma etapa deste ano.

Já o resultado operacional (Ebit) avançou 6,3% no primeiro trimestre e alcançou R$ 229 milhões, com margem Ebit de 7,5%, praticamente estável ante os 7,4% de um ano antes.

A receita líquida da Embraer somou R$ 3 bilhões entre janeiro e março, acima dos R$ 2,9 bilhões dos mesmos meses de 2014.

Conforme a companhia já havia informado no último dia 16, entre janeiro e março foram entregues 32 jatos, sendo 20 aeronaves para aviação comercial e 12 para a aviação executiva. O montante total ficou abaixo dos 34 entregues no mesmo intervalo do ano passado, com destaque para o recuo no volume de jatos executivos. 

Considerando as entregas e os pedidos firmes obtidos no período, a carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) teve uma diminuição, para US$ 20,4 bilhões, pouco abaixo dos US$ 20,9 bilhões do final de 2014. 

Imposto de Renda. O prejuízo líquido atribuído aos acionistas da Embraer se deve, em grande medida, a uma despesa de imposto de renda mais elevada, de R$ 350,9 milhões no período, comparada a uma receita de R$ 41,3 milhões um ano antes, informou a companhia. 

Conforme a fabricante de aeronaves, o aumento dessa despesa se deu principalmente em razão do efeito da variação cambial, que gerou uma maior gasto de imposto de renda e contribuição social sobre itens não monetários em relação ao reportado no ano anterior.

Pelo critério de lucro líquido ajustado, que exclui o imposto de renda e a contribuição social diferidos, o resultado recuou 11%, para R$ 131,2 milhões, levando a uma margem líquida ajustada de 4,3% no trimestre.

A variação cambial também pesou no lucro operacional (Ebit), que ainda assim avançou 6,3% no primeiro trimestre e alcançou R$ 229 milhões, com margem Ebit de 7,5%, praticamente estável ante os 7,4% de um ano antes. 

A Embraer lembrou que a depreciação do real frente ao dólar no período foi de 21%, o que contribuiu significativamente para o aumento de 9,96% das despesas administrativas e comerciais no primeiro trimestre, ante a mesma etapa do ano passado, para R$ 123,7 milhões. 

Já as despesas comerciais cresceram 13,41%, para R$ 247,8 milhões, enquanto as despesas com pesquisa foram de R$ 21,2 milhões, estáveis ante os R$ 22 milhões do primeiro trimestre de 2014.

Mais conteúdo sobre:
Embraerbalanço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.