Embraer vende US$ 1,1 bi na feira aérea de Dubai

A Embraer anunciou vendas de US$ 1,1 bilhão na feira de aviação de Dubai, encerrada ontem. A empresa recebeu pedidos firmes de 66 equipamentos, entre jatos comerciais e executivos. A aviação executiva foi o destaque da companhia na feira do Oriente Médio, respondendo por mais da metade das encomendas, um total de US$ 623 milhões. Foram sete pedidos firmes do Lineage 1000, maior jato executivo produzido pela fabricante, sete pedidos do Legacy 600 e mais 37 unidades do Phenom, jato da categoria Very Light Jet, a menor do mercado. ?O Oriente Médio continua se destacando como um importante mercado para a aviação executiva?, afirmou o vice-presidente da Embraer para o Mercado de Aviação Executiva, Luís Carlos Affonso, em um comunicado divulgado pela companhia. Terceira maior feira de aviação do mundo, atrás apenas das tradicionais Farnborough (Inglaterra) e Le Bourget (França), a feira de Dubai foi uma demonstração da pujança da aviação no Oriente Médio. Juntos, os fabricantes anunciaram encomendas de mais de US$ 100 bilhões, com destaque para a Airbus que, sozinha, vendeu US$ 28 bilhões, seguida pela Boeing. Demanda mundialEm dez anos, a aviação executiva deverá movimentar quase o mesmo que a aviação regional conseguirá em 20 anos, diz estudo com projeção de mercado divulgado ontem pela Embraer. A fabricante prevê uma demanda mundial de 7.540 jatos de 30 a 120 lugares pelos próximos 20 anos, no valor de US$ 220 bilhões - e de 13.150 jatos, no valor de US$ 201 bilhões, até 2017. A carteira de pedidos firmes da Embraer para esse setor está próxima a US$ 4 bilhões, crescimento significativo se comparada com a carteira de 2006 (US$ 2 bilhões) e de 2005 (US$ 600 milhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.