Emissões crescem 25% no 2º trimestre, aponta banco

Diante da constatação de que o pior da crise já passou, empresas, bancos e governos saem ao mercado em busca de financiamento. Dados divulgados hoje pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS) indicam que as emissões de papéis no mercado aumentaram 25% no segundo trimestre de 2009.

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2009 | 00h00

Um ano após a eclosão da pior fase da crise até o momento, executivos e governos tentam começar uma estratégia para cobrir rombos financeiros e, assim, evitar nova onda de colapso.

A percepção generalizada é de que o momento mais sombrio da crise já foi superado. Mesmo que as incertezas continuem, o BIS observa que cada governo ou empresa tenta voltar ao mercado para começar a financiar suas dívidas ou retomar suas atividades. Os países emergentes também voltaram de forma intensa aos mercados.

As novas emissões no segundo trimestre subiram para US$ 837 bilhões, quase US$ 200 bilhões a mais que nos primeiros três meses do ano. O aumento foi um dos mais significativos já registrados na última década. Mas o BIS aponta que ainda não atingiu o recorde de 2007. Do total emitido, US$ 754,9 bilhões foram feitos pelos países ricos.

Grande parte das emissões foi realizada por bancos, especialmente na Europa. No total, captaram US$ 544 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.