Empreendedorismo feminino revoluciona os negócios
Conteúdo Patrocinado

Empreendedorismo feminino revoluciona os negócios

Fórum reuniu grandes nomes para debater as perspectivas para um futuro mais igualitário

Aladas e Media Lab Estadão, O Estado de S.Paulo
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

15 de março de 2021 | 08h00

Quais tabus afetam as mulheres pessoal e profissionalmente? Quais caminhos percorrem aquelas que se destacam no mercado? E como outras podem chegar lá? Essas foram algumas das perguntas levantadas no evento online Diálogos Estadão Think: Mulheres que Sonham, Realizam e Inspiram, organizado pelo Media Lab Estadão, com curadoria da plataforma de empreendedorismo feminino Aladas e patrocínio da Marisa.

O evento ocorreu no Dia Internacional da Mulher; porém, mais do que uma homenagem, propôs novos olhares para o empreendedorismo e o mundo do trabalho, no qual só 29% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres. A programação contou com três painéis e uma palestra, reunindo ao todo dez lideranças femininas de diferentes setores.

O painel ‘Quebrando Tabus’ abriu o evento. Mediado por Andrea Bisker, fundadora da Spark:off e mentora da Aladas, teve a participação de Rafa Brites, autora do livro “Síndrome da impostora” e criadora da plataforma Transformando Sonhos em Realidade (TSER), e de Samantha Almeida, diretora do Twitter Next no Brasil. Elas debateram os tabus sociais que ainda permeiam a atuação de mulheres em áreas como finanças, tecnologia e política, dentre outras.

Em seguida, Mônica Salgado, jornalista e apresentadora do evento, mediou o painel ‘Impulsionando o Voo Delas’, que destacou o impacto positivo de redes de apoio e grupos de mentoria para empreendedoras. O debate contou com Daniela Graicar, fundadora da Aladas e da agência PROS, e com Camila Salek, fundadora da agência Vimer.

O último painel trouxe a narrativa de profissionais que atuam junto a conselhos e governanças empresariais. A mediação foi da diretora do programa de MBA para Conselheiras de Administração – ABP-W da Saint Paul, Christiane Aché, e participaram Gabriela Baumgart, conselheira de Empresas; Elisangela Almeida, CFO da agtech Solinftec; e Leila Loria, conselheira da WCD Brasil.

Para encerrar, a diretora global de Produtos Digitais da Nike, Dafna Blaschkauer, fez uma palestra sobre soft skills.

LEIA MAIS

“Precisamos repensar a estrutura disponível à mulher”

Ter rede de apoio é a dica para empreendedoras

‘É importante ouvir outras vozes, mais femininas e negras’

“Autoconhecimento nos impulsiona aos nossos sonhos e objetivos”



 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.