Emprego e confiança na indústria mostram que 2º semestre melhor, diz CNI

Segundo presidente da confederação, dados de emprego, mais aumento da confiança no setor mostram que a segunda metade do ano será positiva para a economia

Francisco Carlos de Assis e Gustavo Porto, da Agência Estado,

16 de agosto de 2012 | 21h26

SÃO PAULO - O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, mostrou-se bastante otimista em relação à retomada da economia brasileira no segundo semestre do ano. Ao chegar a evento da revista IstoÉ Dinheiro, em São Paulo, ele fez uma rápida avaliação do crescimento das contratações com carteira assinada, revelado nesta quinta-feira pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Segundo ele, os dados de emprego, mais o aumento da confiança da indústria, divulgado pela própria CNI, mostram que a segunda metade do ano será positiva para a economia. "O segundo semestre será melhor do que o primeiro, porque os estoques já estão ajustados e haverá uma melhora na renda por conta do 13º salário e das vendas no Natal", afirmou.

Sobre o pacote anunciado nesta quarta-feira pelo governo, que prevê R$ 133 bilhões em investimentos nos setores de ferrovias e rodovias, Andrade disse não saber ainda precisar o impacto sobre o Produto Interno Bruto (PIB). Porém, segundo ele, a medida é importante porque vai trazer os investimentos necessários para setores essenciais da economia.

Conforme Andrade, o custo de logística nos EUA é de 6% do PIB, enquanto no Brasil gira ao redor de 15%.

Tudo o que sabemos sobre:
EmpregoconfiançaindústriaCNI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.