Emprego e renda da indústria sobem em janeiro

O emprego industrial cresceu 0,3% em janeiro ante dezembro de 2006, na série livre de influências sazonais, segundo divulgou nesta sexta-feira, 16, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O crescimento ocorreu após três meses consecutivos de resultados negativos ante mês anterior, período em que acumulou recuo de 0,6%.Na comparação com janeiro de 2006, houve aumento de 0,9%, mantendo seqüência de sete taxas positivas. Nessa base de comparação - não há detalhamento para setores ante mês anterior, as principais pressões positivas para o mercado de trabalho da indústria vieram de alimentos e bebidas (6,9%), produtos de metal (3,4%) e refino de petróleo e produção de álcool (14,1%). Em sentido contrário, os principais impactos negativos vieram de calçados e artigos de couro (-9,4%), vestuário (-5,9%) e borracha e plástico (-2,3%). Em 12 meses, o emprego na indústria acumula alta de 0,1%. O índice de média móvel trimestral, considerado o principal indicador de tendência, permaneceu negativo e registrou variação de -0,1% no trimestre encerrado em janeiro ante o terminado em dezembro.RendaA folha de pagamento real da indústria cresceu 9% em janeiro ante dezembro, também na série com ajuste sazonal. A expansão ocorreu após quedas registradas em dois meses consecutivos. Na comparação com janeiro do ano passado, a folha cresceu 3,9% e acumula em 12 meses alta de 1,7%.Entre os setores investigados, em janeiro na comparação com igual mês de 2006, os maiores impactos positivos vieram de alimentos e bebidas (10,2%), indústria extrativa (15,3%) e máquinas e equipamentos (6,3%). Por outro lado, produtos químicos (-9,7%) e calçados e artigos de couro (-5,0%) exerceram as principais pressões negativas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.